Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Professores do Ifes selecionados para intercâmbio na Finlândia embarcam em abril
Início do conteúdo da página

Professores do Ifes selecionados para intercâmbio na Finlândia embarcam em abril

Publicado: Quinta, 31 de Março de 2016, 16h41 | Última atualização em Quinta, 31 de Março de 2016, 16h41

Eles devem se apresentar no dia 4 de abril nas universidades de ciências aplicadas Hamk, Haaga- Helia e Tamk.

Os três professores do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) selecionados pelo Programa Professores para o Futuro, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Ministério da Educação, e do Conselho Nacional de Educação e Pesquisa (CNPq), embarcam para a Finlândia nos próximos dias. Eles devem se apresentar no dia 4 de abril nas universidades de ciências aplicadas Hamk, Haaga- Helia e Tamk.

Vicente de Paulo Ferreira Marques sobrinho, do Campus Vitória; Marize Lyra Silva Passos, do Centro de Referência de Formação em Educação a Distância (Cefor); e Paulo Sérgio dos Santos Júnior, do Campus Serra, participarão desse intercâmbio com o objetivo de aprofundar seus conhecimentos sobre a interação entre universidades com as comunidades onde estão inseridas e o setor produtivo.

Marize inscreveu a proposta “Divulgação e Incentivo à Implantação do Ensino Híbrido no Instituto Federal do Espírito Santo como forma inovadora de apoiar a melhoria no Ensino Profissional e Tecnológico”. O objetivo é propor, baseado na experiência finlandesa, um projeto de divulgação e incentivo ao uso do ensino híbrido, um método que alterna momentos em que o aluno estuda sozinho ou em grupo, interagindo com colegas e professor, e utilizando ferramentas tecnológicas.

Para a professora “a expectativa é poder divulgar e incentivar o uso desse tipo de ensino no Ifes e, a partir do aprendizado obtido com essas experiências, criar uma rede de conhecimento e acervo de informações que poderão ser replicadas futuramente, para o maior número de professores” conta.

Na primeira etapa, que vai acontecer na Finlândia será feito um aprofundamento teórico sobre o ensino híbrido e como ele está sendo aplicado lá. Posteriormente, junto do tutor da universidade finlandesa, o projeto será ajustado. Na etapa seguinte, que acontece no Brasil, será elaborado um guia de orientação para os professores, para eles explorarem as diversas ferramentas do ensino híbrido para com os seus cursos, bem como a elaboração de um curso piloto de extensão que no final vai ser avaliado, ajustado e colocado à disposição dos demais professores do Instituto.

Já o foco de Paulo Sérgio é a integração entre academia, mercado e sociedade. Ele apresentou a proposta “Um modelo de integração que permita unir Academia e Mercado através de ambientes não formais de aprendizagem para desenvolvimento de inovação”, que tem o objetivo de criar um conjunto de modelos e diretrizes que permita direcionar a criação e integração dos ambientes não formais de educação e inovação baseado nos modelos de estudo do Demola, New Factory e Pro Akademia.

O projeto tem início com o estudo desses ambientes de inovação e dos registros desses modelos em um relatório técnico. E na volta para o Brasil, o professor pretende divulgar esse relatório e implementar o modelo no Leds Serra, além da realização de eventos de inovação com o intuito de integrar sociedade, mercado e academia.

Vicente Sobrinho propôs o “Programa para melhoria do currículo do curso Técnico de Metalurgia e Materiais”. O objetivo é contribuir para a formação continuada dos professores da coordenadoria de metalurgia e materiais do Campus Vitória, além de contribuir com uma melhoria contínua do currículo do curso alinhada com a necessidade competitiva e inovadora do setor produtivo e suas áreas de apoio.

Para o professor, a expectativa dessa troca de experiências só tem a acrescentar ao currículo do curso, além de incentivar o interesse de parcerias. “Espero como resultado professores atualizados e motivados a melhorar o currículo do curso técnico, de tal forma que os alunos egressos sejam considerados pelas empresas como profissionais altamente qualificados para atender às exigências do mercado competitivo de trabalho.”

registrado em:
Fim do conteúdo da página