Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Aberta chamada pública de artigos para seções temáticas da Revista do Serviço Público
Início do conteúdo da página

Aberta chamada pública de artigos para seções temáticas da Revista do Serviço Público

Publicado: Segunda, 05 de Setembro de 2016, 17h30 | Última atualização em Segunda, 05 de Setembro de 2016, 17h30

São três números especiais, com os temas Governança do Setor Público, Gestão e Poder Local e Inovação no Setor Público.

A Escola Nacional de Administração Pública (Enap) abriu chamada para submissão de artigos para compor as seções temáticas dos próximos números da Revista do Serviço Público (RSP). São três temas diferentes, e as datas de submissão dos trabalhos variam. Para o vol. 67, nº 04/2016, sobre Governança do Setor Público, o prazo vai até 31 de outubro. Para o vol. 68, nº 01/2017, sobre Gestão e Poder Local, o limite é 15 de janeiro; e para o vol. 68, nº 02/2017, de Inovação no Setor Público, a data é 15 de março.

O número sobre Governança do Setor Público acolherá artigos dentro do campo de gestão pública e políticas públicas que contribuam teórica e empiricamente para a discussão do tema. Serão aceitos temas correlatos, tais como: coordenação de políticas e serviços públicos; análise comparativa de arranjos institucionais; capacidades estatais para formulação, implementação e avaliação de políticas públicas, dentre outros.

O tema Gestão e Poder Local acolherá artigos que possam analisar a questão da gestão pública e do poder local com foco comparativo. Nesse campo de estudo, espera-se contribuições em temas tais como arranjos federativos e o papel do poder local na implementação de políticas públicas; descentralização administrativa e gestão de recursos públicos; poder político local, clientelismo e políticas públicas; e redes de políticas públicas.

Já o número sobre Inovação no Setor Público pretende debater o processo de inovação em serviços e políticas públicas, com especial enfoque na compreensão dos indutores e barreiras à inovação; metodologias de inovação como design thinking e instrumentos de cocriação; análise e avaliação de processos e políticas inovadoras; e centralidade do cidadão como agente de serviços e políticas.

Veja mais detalhes.

*Com informações da Enap.

registrado em:
Fim do conteúdo da página